Água de gengibre: quais são os benefícios, riscos e efeitos colaterais?

Foto: iStock

O gengibre é uma raiz tuberosa de sabor picante bastante utilizada na culinária do mundo todo, que também se destaca na medicina natural pela grande quantidade de nutrientes e compostos bioativos.

São os óleos naturais do gengibre que respondem por seu sabor e fragrância tão particulares. O mais importante deles, entretanto, é o gingerol, responsável por grande parte das propriedades medicinais que a raiz oferece, entre elas as anti-inflamatórias e antioxidantes (1).

Uma das maneiras de beneficiar-se de todas essas propriedades terapêuticas é a partir do preparo da água de gengibre, ou chá de gengibre, consumido habitualmente no continente asiático, de onde a planta é originária.

Neste artigo, destacamos os principais benefícios proporcionados por essa raiz tão especial, com evidências comprovadas por diferentes estudos científicos e indicamos os riscos, ou mesmo efeitos colaterais, que podem ser ocasionados pelo consumo excessivo. No entanto, assim como outras plantas medicinais, o número de pesquisas ainda é limitado.

Principais benefícios proporcionados pelo consumo da água de gengibre

Foto: iStock

1. É um excelente anti-inflamatório

A inflamação é uma reação de defesa do organismo frente a uma agressão, que pode ser ocasionada por diferentes agentes, físicos, biológicos ou mesmo químicos e evoluir para a perda da função da região afetada. O gengibre possui substâncias que ajudam a controlar esse processo.

Por exemplo, um estudo constatou que ele pode reduzir reações alérgicas, muitas vezes desencadeadas por processos inflamatórios (2).

Outro menor, também demonstrou que o consumo diário de gengibre reduziu as dores musculares provocadas por atividades físicas, que também podem ser ocasionadas por inflamações na região (3).

2. Potente antioxidante

As propriedades antioxidantes do gengibre contribuem ainda para a prevenção de doenças cardiovasculares, neurodegenerativas tais como Parkinson, Alzheimer e Huntington, retardar o envelhecimento, além de inibir o crescimento de células cancerígenas, como demonstrou um estudo, que aponta ainda sua eficácia para controlar algumas neoplasias (4).

Outro, destacou seu efeito para prevenir a insuficiência renal, perda súbita da capacidade dos rins de filtrarem resíduos, sais e líquidos do sangue (5).

3. Evita a náusea e contribui para a digestão

Uma das propriedades mais conhecidas da água de gengibre é combater as náuseas provocadas por enjoos marítimos, matinais – muito comuns nos meses iniciais de gravidez –, ou mesmo os ocasionados após cirurgias e, em pacientes com neoplasias, quando submetidos à quimioterapia (6, 7, 8, 9, 10).

4. Equilibra os níveis de açúcar no sangue

Esse efeito também foi constatado por um estudo, após o consumo em jejum da raiz por pessoas com diabetes (11).

5. Reduz os níveis de LDL, o colesterol ruim

Em um estudo realizado durante 45 dias com 85 indivíduos que apresentavam um colesterol alto, o consumo de 3 gramas de gengibre em pó demonstrou reduzir significativamente os níveis de LDL (12).

Outro, realizado em ratos de laboratórios, comprovou que o extrato de gengibre apresenta a mesma eficácia de medicamentos tradicionais (13).

A elevação dos níveis de LDL também está diretamente relacionada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Ambos os estudos apontaram ainda uma redução do colesterol total e triglicerídeos no sangue.

6. Auxilia no processo de perda de peso

Água de gengibre pode ajudar a promover a perda de peso quando associada a uma dieta saudável e atividades físicas. O consumo da bebida logo após as refeições, causa ainda uma sensação de saciedade por mais tempo, como demonstra esse estudo (14), além de equilibrar os níveis de açúcar, o que também contribui para inibir o apetite.

Já em outro, realizado em ratos, o consumo de gengibre evitou a obesidade, mesmo com a adoção de dietas ricas em gorduras (15).

7. Hidratação

O consumo diário da água de gengibre também contribui para manter o organismo sempre hidratado, evitando complicações de saúde.

Riscos e efeitos colaterais ocasionados pelo consumo excessivo de água de gengibre

Apesar de raros, alguns efeitos podem ser ocasionados pelo consumo excessivo de água de gengibre, entre eles azia, acúmulo de gases, dor e irritação no estômago e sensação de queimação na boca.

Pessoas que apresentam problemas cardíacos, diabetes, cálculos biliares ou que vão se submeter a uma cirurgia, devem consultar o médico antes de adicionar a água de gengibre à rotina alimentar.

Consulta que deve também ser priorizada durante o período de gravidez. Mesmo com os benefícios proporcionados para o tratamento de náuseas, muito comuns durante os primeiros meses, a possibilidade de aumentar o risco de aborto espontâneo já foi anteriormente relatada, embora até o momento não tenha sido comprovada por nenhuma evidência científica, ao contrário.

Uma revisão de diversos estudos, por exemplo, não apontou nenhum efeito colateral em mulheres grávidas, causado pelo consumo de água de gengibre (16). Já um outro estudo, comprovou sua eficácia para o tratamento das náuseas durante esse período (17).

Uma mudança na dieta alimentar também contribui para a diminuição das náuseas durante a gravidez. Além disso, é importante comer regularmente, evitar alimentos condimentados e gordurosos, dormir pelo menos por 7 horas e hidratar-se – outro benefício proporcionado pela água de gengibre.

Como fazer água de gengibre?

Para aproveitar mais as propriedades terapêuticas do gengibre, o ideal é preparar sua própria água. Para isso, utilize o gengibre fresco, facilmente encontrado em supermercados ou lojas de produtos naturais. A quantidade de água pode ser adicionada ao seu gosto: mais, ou menos forte. A proporção que sugerimos é equivalente a 1g de extrato de gengibre.

Modo de preparo

Lave bem a raiz e mantenha a casca para aproveitar melhor os nutrientes. Rale o equivalente a meia colher de chá e adicione a quatro litros de água fervendo. Desligue o fogo, deixe descansar por cerca de 10 minutos, coe, descarte os pedaços e leve à geladeira por mais ou menos meia hora.

A bebida pode também ser consumida quente, como chá, ou mesmo preparada em maior quantidade para ser usada diariamente, desde que seja bem acondicionada.

Na hora de consumir, podem ser também adicionados suco de limão, mel e folhas de hortelã, o que ajuda a variar o sabor, além de garantir a ingestão de outros nutrientes.

Dosagem diária recomendada

Os profissionais de saúde aconselham o consumo máximo de 4g de gengibre por dia. Durante o período de gravidez, no entanto, a dose não deve exceder 1g. Veja algumas medidas que equivalem a um 1g:

  • 1/2 colher de chá de gengibre em pó
  • 1 colher de chá de gengibre cru ralado
  • 4 xícaras de água com 1/2 colher de chá de gengibre ralado

Incorporar a água de gengibre à rotina alimentar é bastante fácil, além de ser uma ótima maneira para manter o organismo hidratado. Entretanto, lembre-se sempre de conversar com seu médico antes de adicionar qualquer suplemento à dieta.

Mesmo que o consumo de água de gengibre, associado ao suco de limão, possa ser indicado para desintoxicação do organismo, não há nenhuma evidência que comprove esse efeito, embora a ingestão diária possa contribuir para aumentar o bem-estar e melhorar a saúde em geral.