11 benefícios do café para sua saúde: você vai se surpreender!

Foto: iStock

A bebida predileta dos brasileiros possui propriedades que vão muito além de estimular o sistema nervoso central e causar aquela sensação de alerta. Nos últimos anos o café tem sido objeto de estudos no mundo todo, que apontam a sua importância como aliado para o tratamento e prevenção de diferentes doenças e para melhorar vários aspectos das funções cognitivas.

11 benefícios do café que você precisa conhecer

Foto: Pense Natural

Veja abaixo detalhes sobre cada um dos 11 benefícios, todos comprovados cientificamente.

1. O café aumenta os níveis de energia e melhora as funções cognitivas

A cafeína, substância presente em grande quantidade no café, conhecida por suas propriedades estimulantes e psicoativas, contribui para aumentar os níveis de energia, diminuindo, consequentemente, os efeitos do cansaço (1, 2, 3).

Um dos mecanismos de ação da cafeína é a inibição dos neurotransmissores de adenosina, que controlam a frequência cardíaca, a pressão sanguínea, a temperatura corporal e causam sensações como sono ou cansaço. Ao inibir essa ação, produz efeitos contrários: estimulação neural e vasoconstrição, proporcionando mais disposição, evitando a fadiga (4, 5, 6).

Diversos estudos apontam ainda sua importância para melhorar funções cognitivas como raciocínio e memória, além de incentivar o estado de alerta e provocar mais agilidade (7, 8, 9).

2. Ajuda a emagrecer

Encontrada em diferentes suplementos para emagrecer, a cafeína age principalmente acelerando a taxa metabólica: antes de queimar gorduras do tecido adiposo é necessário mobilizá-las e ela aumenta essa ação, principalmente quando associada a exercícios físicos (10, 11).

Estudos demonstram ainda que essa substância pode estimular a queima de gordura até 10% em indivíduos com sobrepeso e 29% em pessoas magras (12).

3. Melhora o desempenho físico

Ao atuar como estimulante do sistema nervoso e inibir a sensação de fadiga, propicia o fortalecimento dos músculos. Com a aceleração do metabolismo e mobilização de gorduras, provoca a transformação delas em energia muscular, resultando em maior desempenho físico (13, 14, 15, 16).

São muitos os estudos que apontam a cafeína como agente modulador do rendimento físico, potencializando a performance até 12% em diferentes atividades esportivas (17, 18).

Para garantir todos esses efeitos, a recomendação é o consumo diário de três ou quatro xícaras de café (19)

4. Contêm nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo

Não é apenas a cafeína que garante os benefícios proporcionados pelo café. Ele é rico em vitaminas, minerais e antioxidantes, essenciais para o bom funcionamento do organismo. Veja abaixo os percentuais encontrados em apenas uma xícara, de acordo com as recomendações nutricionais da Academia Nacional de Ciências dos EUA, RDA (20).

  • Riboflavina (vitamina B2): 11% da RDA.
  • Ácido pantatênico (vitamina B5): 6% do RDA.
  • Manganês e Potássio: 3% da RDA.
  • Niacina (Vitamina B3) e Tiamina (vitamina B1): 2% da RDA.

Esses percentuais, multiplicados pela dose diária recomendada, suprem boa parte dos nutrientes necessário para garantir uma boa saúde geral.

Além disso, ele ainda é apontado com uma das principais fontes de antioxidantes, superando, inclusive, a combinação de algumas frutas e vegetais (21, 22, 23).

5. Pode diminuir o risco de desenvolver o diabetes tipo 2

O diabetes tipo 2 atinge cerca de 300 milhões de pessoas no mundo todo, o risco de desenvolvimento da doença pode ser bem menor com a ingestão diária de café. É o que demonstram alguns estudos, eles apontam que as pessoas que bebem mais café, têm uma possibilidade que varia entre 20% e 67% a menos de desenvolver a doença (24, 25, 26, 27, 28).

Ainda, de acordo com a revisão de 18 estudos, que contaram com quase 500 mil participantes, o consumo de cada xícara reduziu em até 7% o risco de desenvolver a doença (29).

6. Evita doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson

Mais um benefício da cafeína. Além de estimular as funções cognitivas, ela contribui para evitar duas das doenças neurodegenerativas mais comuns no mundo: Alzheimer e Parkinson.

Principal responsável pelos sintomas de demência, o Alzheimer geralmente afeta pessoas acima de 65 anos. Ainda sem cura definida, alguns estudos, no entanto, demonstram que o consumo de café pode diminuir em até 65% o risco de desenvolvê-la (30, 31).

Assim como o Alzheimer, a doença de Parkinson ainda não tem cura definida e é causada pela degeneração dos neurônios geradores de dopamina no cérebro. O consumo diário de café também auxilia na prevenção da doença, reduzindo a possibilidade de desenvolvimento em até 60% (32, 33, 34, 35).

7. Ajuda a proteger a saúde do fígado

Um dos principais órgãos do corpo humano, o fígado desempenha funções importantes que vão desde o armazenamento e liberação da glicose, de vitaminas e minerais, metabolismo e síntese das proteínas no plasma, ao processamento de drogas e hormônios.

Vulnerável a diferentes doenças, entre elas a cirrose – condição geralmente causada pelo consumo excessivo de álcool ou por doenças como hepatite –, pode também contar com os benefícios do café para sua prevenção.

A afirmação pode ser comprovada por diferentes estudos, que demonstram que o consumo da dose diária de café recomendada (entre 3 e 4 xícaras), pode reduzir em até 80% o risco de desenvolver a doença (36, 37, 38).

8. Auxilia no combate à depressão

Diferentes estudos realizados pelos cientistas da Universidade de Harvard, associaram a redução da taxa de depressão e do índice de suicídio ao consumo do café. Um deles, publicado em 2011, aponta um índice de manifestação da doença até 20% menor em mulheres que bebiam quatro ou mais xícaras diariamente (39).

Outro, realizado com mais de 200 mil pessoas entre 1988 e 2008, revelou que os consumidores da bebida, com ou sem cafeína, que ingeriram a mesma quantidade diária, reduziram o percentual em mais de 50 (40).

Os resultados são também atribuídos ao fato dele estimular o sistema nervoso central, agindo como antidepressivo e aumentando a produção de neurotransmissores como a serotonina, dopamina e noradrenalina.

9. Reduz o rico de desenvolver algumas neoplasias

Diferentes estudos também indicam que o consumo de café pode proteger contra o desenvolvimento de dois tipos agressivos de câncer, o de fígado e o colorretal, responsáveis pela terceira e quarta posição nas mortes do mundo todo (41).

Indicam que os consumidores da bebida têm um risco até 40% menor de desenvolver o câncer de fígado (42, 43), entre 15% e 21% a menos de desenvolver o colorretal (44).

10. Contribui com a saúde cardiovascular

O consumo de três ou quatro xícaras de café diariamente também está associado a uma menor probabilidade de desenvolver problemas cardiovasculares como doenças cardíacas e derrames cerebrais (w).

Mesmo que a cafeína possa aumentar a pressão arterial, o sintoma desaparece quando o café é consumido regularmente, principalmente quando não há nenhum registro anterior de hipertensão – apenas nesse caso o consumo frequente da bebida não é aconselhado (45, 46, 47, 48).

Se comparados aos que não bebem café, o risco de desenvolver doença cardíaca para quem consome regularmente a bebida é 19% menor. No caso de acidente vascular cerebral, AVC, reduz em até 30% (49).

11. Garante maior longevidade

Com todos esses benefícios proporcionados pelo café, não é difícil concluir que quem possui o hábito de consumi-lo diariamente, pode viver mais tempo. Aliás, diferentes estudos, realizados em um período entre 18 e 24 anos, observaram que o consumo da bebida está associado a uma diminuição de 20% do risco de morte em homens e 26% em mulheres (50).

Efeito que também beneficia particularmente os portadores do diabetes tipo 2, como apontam outros estudos, realizados por cerca de 20 anos (51).

O consumo moderado de café não causa nenhum risco. No entanto, um estudo realizado pelo NHS, serviço público de saúde do Reino Unido, recomenda que mulheres grávidas não consumam mais que 200 miligramas de cafeína por dia (cerca de duas xícaras), visto que a ingestão de uma grande quantidade pode aumentar a possibilidade de aborto. Aponta ainda que mulheres com fragilidade óssea também devem cortar a cafeína.

Contudo, de acordo com os pesquisadores, o consumo de três a quatro xícaras de café por dia não indica nenhum malefício.A cafeína também está presente em alguns tipos de chás, suplementos ou chocolates (52).