9 produtos caseiros para acabar com as caspas naturalmente

Foto: iStock

Um problema que afeta até 50% das pessoas (1), as caspas podem ser motivadas por fatores que vão desde banhos quentes ao estresse. Surgem a partir do inchaço das glândulas sebáceas, localizadas na base do folículo capilar, que passam a produzir secreção oleosa em excesso, obrigando a uma troca mais rápida do tecido do couro cabeludo. As células mortas, ao serem eliminadas, se assemelham a flocos brancos, as incômodas caspas.

Além da descamação, a coceira no couro cabeludo também é um dos sinais característicos dessa condição, que pode ocasionar outras reações no local, tais como manchas gordurosas e formigamento.

Caspas podem surgir ainda como consequência da dermatite seborreica, pele seca, sensibilidade a produtos capilares ou pelo crescimento de um tipo de fungo que se desenvolve no couro cabeludo (2, 3).

Embora existam diversas soluções indicadas para combater o problema, a utilização de alguns produtos caseiros ajuda bastante a reduzir os sintomas.

9 maneiras de acabar com as caspas naturalmente:

Foto: iStock

1. Experimente o óleo de melaleuca

Também chamado de óleo da árvore do chá, é um dos óleos essenciais mais utilizados pela medicina natural no mundo todo, por suas propriedades antissépticas e antibacterianas, que também ajudam a aliviar os sintomas da caspa (4).

Empregado no tratamento de doenças como acne e psoríase, sua eficácia para combater infecções, inclusive as resistentes a antibióticos, como problemas de pele fúngicos e bacterianos, foi comprovada por diferentes estudos.

Uma revisão, por exemplo, demonstrou que ele age combatendo a cepa do fungo, que pode causar tanto a dermatite seborreica, quanto a caspa (5).

Em outro estudo, realizado pelo período de 4 semanas, seus efeitos foram constatados durante o tratamento de 126 pessoas, que utilizaram um shampoo com a adição de 5 % desse óleo, ou um placebo. O resultado final indicou que os sintomas melhoraram cerca de 41 % nas pessoas que utilizaram shampoo com o óleo (6).

O óleo de melaleuca, entretanto, pode provocar irritação em pessoas com a pele mais sensível, por esse motivo, é aconselhável associá-lo a um óleo transportador.

2. Use óleo de coco

Foto: iStock

Conhecido pelos diversos benefícios que proporciona para a saúde, o óleo de coco também é usado como um remédio natural para combater a caspa. Ele ajuda a melhorar a hidratação da pele e a prevenir contra o ressecamento, fator que contribui para agravar os sintomas.

Um pequeno estudo realizado com 34 pessoas, demonstrou que o óleo de coco é tão eficaz quanto o óleo mineral para hidratação da pele (7).

Ele também auxilia no tratamento de eczemas, uma inflamação da pele, que também pode provocar o surgimento de caspas.

Os efeitos do óleo de coco e do óleo mineral foram comparados ainda no tratamento da dermatite atópica, inflamação crônica da pele. A aplicação dele por oito semanas reduziu os sintomas em 68 %, em comparação com apenas 38 % dos efeitos proporcionados pelo óleo mineral (8).

O óleo de coco demonstrou ainda ter propriedades antimicrobianas em alguns estudos realizados em laboratórios, embora os efeitos sobre o fungo que causa a caspa ainda não tenham sido examinados (9, 10).

3. Aplique aloe vera

O gel extraído do revestimento interno das folhas da planta de aloe, é famoso por suas propriedades quase milagrosas para pele e cabelos. Ele pode ajudar no tratamento de queimaduras, psoríase e herpes labial, por exemplo (11).

Ao mesmo tempo é antibacteriano e antifúngico, o que contribui para proteger o couro cabeludo contra a formação de caspas, como apontou uma revisão de diferentes estudos (12).

Sua eficácia para combater diversas espécies de fungos, foi também constatada por testes realizados em laboratórios, contribuindo para controlar infecções ocasionadas por eles, que podem resultar na perda de cabelo (13). O gel ainda atenua o processo inflamatório (14).

Contudo, apesar dos resultados positivos apontados por esses estudos, são necessárias mais evidências que comprovem benefícios para inibir particularmente a formação de caspas, ou os sintomas provocados por ela.

4. Monitore o estresse

Foto: iStock

O estresse é um mal que atinge grande parte da população mundial, ocasionado geralmente por estímulos externos, pode provocar um conjunto de respostas do organismo, físicas, mentais, psicológicas e comportamentais (15).

Embora ele não seja um fator causador de caspas, é responsável por agravar sintomas como ressecamento e coceira (16).

Além disso, pessoas que vivenciam essa condição por muito tempo, podem apresentar um enfraquecimento do sistema imunológico, diminuindo a capacidade do organismo para combater infecções, entre elas as provocadas por fungos ou outras relacionadas à pele, que contribuem para a formação de caspas (17).

Um estudo, que contou com a participação de 82 pessoas com dermatite seborreica, por exemplo, apontada como uma das causas mais comuns para o surgimento de caspas, demonstrou que a ocorrência desse tipo de inflamação, na maioria das vezes, foi precedida por um evento estressante (18).

Praticar meditação, ioga e aromaterapia – um exercício terapêutico que utiliza as propriedades dos óleos essenciais 100 % puros para restabelecer o equilíbrio e a harmonia pessoal –, podem ajudar bastante a manter os níveis de estresse sob controle.

5. Adicione o vinagre de maçã ao shampoo

O vinagre de maçã também tem sido associado a diversos benefícios para a saúde, entre eles melhorar a sensibilidade à insulina e aumentar a perda de peso (19, 20).

Sua eficácia para combater a caspa é atribuída a acidez, que ajuda a eliminar as células mortas do couro cabeludo. Ele também proporciona mais equilíbrio ao pH da pele, o que contribui para reduzir o crescimento de fungos e, consequentemente, para a formação de caspas.

No entanto, esses benefícios não foram comprovados por nenhuma evidência científica, e são apoiados apenas por depoimentos de pessoas que utilizaram o condimento com esse propósito, embora alguns testes realizados com o vinagre de maçã em laboratórios, comprovem sua eficácia para inibir o crescimento de diferentes tipos de fungos (21, 22).

Uma boa dica para experimentar os efeitos proporcionados por ele no combate às caspas, é adicionar algumas colheres de sopa ao shampoo (cerca de três ou quatro). Pode ser também combinado com óleos essenciais e borrifado diretamente no cabelo.

6. Faça um teste com aspirina

Foto: iStock

O ácido salicílico, uma das principais substâncias da aspirina e responsável por suas propriedades anti-inflamatórias, também está presente na composição de diversos shampoos anticaspa (23).

Essa substância funciona ajudando a eliminação da pele escamosa, desprendendo os flocos para que eles possam ser removidos (24).

Dezenove pessoas com caspa que participaram de um estudo, usaram dois shampoos contendo piractone olamiona, ativo que controla a flora microbiana do couro cabeludo, combinado com ácido salicílico ou piritionato de zinco, também um ingrediente ativo. Ambos os shampoos diminuíram a caspa após quatro semanas, no entanto, o que continha ácido salicílico, apresentou mais eficácia para atenuar a severidade da descamação (25).
Outro estudo demostrou que um shampoo contendo ácido salicílico foi igualmente eficaz no tratamento da dermatite seborreica e da caspa (26).

Para combater a caspa com aspirina, esmague dois comprimidos e adicione o pó à quantidade de shampoo que será utilizada para cada lavagem do cabelo.

7. Incremente a ingestão de ômega-3

O ômega-3, carinhosamente conhecido como “gordura do bem”, é o mais famoso dos ácidos-graxos, essencial para o bom funcionamento do organismo, embora não possa ser produzido por ele.

Tem sido objeto de milhares de estudos no mundo todo, com a comprovação de benefícios que favorecem diferentes funções biológicas, contribuindo para promover maior saúde mental, do coração, olhos e ossos, por exemplo, e para fortalecer o sistema imunológico (27).

Esses estudos também comprovaram a importância dele para a saúde da pele, desde prevenir o envelhecimento precoce e auxiliar na cicatrização de feridas, a estimular maior produção de substâncias para sua hidratação (28).

Ao contrário, a deficiência da substância pode provocar diversos sintomas, incluindo pele seca, queda de cabelos, ou mesmo caspa (29).

Incrementar a ingestão de ômega-3 pode ajudar nos processos inflamatórios e, consequentemente, aliviar a irritação e os sintomas provocados pela caspa (30).

Ele é encontrado naturalmente em fontes marinhas, incluindo peixes de águas frias e profundas tais como anchova, salmão, atum, cavala, arenque, mariscos e algas marinhas – fonte original desse tipo de gordura –, em sementes como linhaça, chia ou de abóbora, castanhas como as nozes e, em menores quantidades, nas folhas de coloração verde escuro, como a couve ou o espinafre.

8. Coma mais alimentos ricos em probióticos

Foto: iStock

O termo probiótico deriva do grego biotikos, que significa “a favor da vida” e surgiu em 1965 para designar substâncias produzidas por micro-organismos, que favoreciam o crescimento de outros micro-organismos. Os principais probióticos são encontrados em produtos de origem láctea.

Essas bactérias benéficas proporcionam uma variedade de benefícios para a saúde, ajudam nos processos de digestão, absorção e síntese de vitaminas e minerais, diminuição dos níveis do colesterol ou no aumento da resistência imunológica, protegendo contra o desenvolvimento de inúmeras doenças, inclusive algumas neoplasias (31).

Mais resistente, o sistema imunológico reage melhor às infecções que podem acometer o organismo, entre elas as provocadas por fungos, uma das causas do surgimento de caspas (32).

Foi o que demonstrou um estudo, em que 60 pessoas consumiram alimentos com probióticos durante 56 dias e reduziram significativamente a gravidade dos sintomas provocados pela caspa (33).

Os probióticos comprovaram ainda ser eficientes para reduzir sintomas ocasionados por doenças da pele, como eczema e dermatite, especialmente em bebês e crianças (34, 35, 36).

Diversos tipos de alimentos fermentados, como kombuchá, kimchi, tempeh e natto, também contêm probióticos. Porém, esses organismos estão presentes em maior concentração nos produtos de origem láctea e em suplementos alimentares, disponíveis no formato de cápsulas, gotas e em pó.

9. Bicarbonato de sódio: um esfoliante natural

Comumente encontrado em quase todas as cozinhas, um dos benefícios proporcionados pelo bicarbonato de sódio é sua ação esfoliante. Ele remove suavemente as células mortas da pele, ao mesmo tempo que reduz a descamação e alivia a coceira. Possui, ainda, propriedades antifúngicas, que podem beneficiar o tratamento da caspa.

Um estudo realizado em laboratório comprovou sua ação antifúngica nas espécies que causam infecções na pele. Ele inibiu totalmente o crescimento desses fungos em 79 % das amostras, após sete dias (37).

Outro, analisou esses efeitos em 31 pessoas com psoríase. O tratamento com banhos de bicarbonato de sódio reduziu a coceira e a irritação após apenas três semanas (38).

O mesmo efeito também foi constatado em pacientes com dermatite atópica: banhos de bicarbonato de sódio contribuíram para aliviar a coceira (39).

Para obter melhores resultados, experimente aplicá-lo diretamente no cabelo molhado, massageando o couro cabeludo. Deixe descansar por um minuto ou dois e continue lavando como de costume.

Embora caspas sejam um problema desagradável, diferentes produtos caseiros contribuem para aliviar os sintomas. Utilize um deles assim que constatar a presença de flocos, antes que a condição se agrave. Para aumentar ainda mais a eficácia do tratamento, eles podem, ao mesmo tempo, serem associados a shampoos anticaspa.