Sucralose: esse adoçante faz bem ou mal à saúde?

Escrito por Andreia Miranda

iStock

Em busca do corpo perfeito e de uma vida mais saudável, várias pessoas recorrem ao uso dos adoçantes. Entre eles está a sucralose, que é uma substância artificial extraída da sacarose, ou seja, do açúcar comum. A diferença é que ela é isenta de calorias.

O adoçante natural foi descoberto por Shashikant Phadnis em 1976. No entanto, a substância só foi liberada para o consumo humano em 1998, mais de vinte anos depois. O que muitas pessoas ainda desconhecem são dos malefícios provocados pelo uso regular da sucralose no organismo. Saiba mais:

Sucralose: mocinha ou vilã?

iStock

Além de provocar dores de cabeça e não contribuir de forma eficaz para a perda de peso, o adoçante ainda provoca outros males à saúde (1).

No processo de extração, três grupos de hidrogênio-oxigênio da sacarose são substituídos por átomos de cloro. Ou seja, os átomos de hidrogênio-oxigênio são substituídos por uma substância considerada tóxica ao organismo. Mas este não é o único malefício proporcionado pela sucralose, pois além deste, existem outros. Veja a seguir:

1. Contribui para a obesidade

Por ser um composto organoclorado sintético, a sucralose muda o paladar dos seus usuários e torna-os cada vez mais dependentes de alimentos doces. E como o consumo em excesso de açúcar é um dos principais fatores de risco para a obesidade, eis o perigo.

2. Perigosa para diabéticos

Estudos sugerem que o adoçante altera os níveis de glicose no organismo, o que torna o consumo do produto inapropriado para pessoas acometidas por diabetes.

3. Produz substâncias tóxicas e cancerígenas quando aquecida

Já outros estudos afirmam que, quando a sucralose é aquecida, ela forma compostos organoclorados, que são tóxicos ao organismo (2). Além disso, esses compostos favorecem a formação e proliferação de células malignas pelo corpo, causando vários tipos de câncer.

4. Prejudica a absorção de medicamentos importantes pelo organismo

O consumo regular da sucralose também está associado à ineficiência de alguns medicamentos, como os para tratar doenças cardíacas, diabetes e câncer.

Alternativas ao uso da sucralose

iStock

O bom seria que todos pudessem consumir os alimentos em sua forma natural, ou seja, sem adição de sal ou açúcar. Mas como nem todas as pessoas conseguem se adaptar a uma alimentação 100% natural, acabam recorrendo ao uso dos adoçantes para tornar os alimentos mais saborosos.

Contudo, existem alternativas menos prejudiciais à saúde do que a sucralose. São os chamados adoçantes naturais, que não causam vício e nenhum dos males citados acima. Além disso, os adoçantes naturais podem ser utilizados pela maioria das pessoas, sem contraindicações específicas. Quer conhecer alguns dos substitutos do açúcar e da sucralose?

Stevia

A Stevia é um adoçante natural extraído da planta Stevia Rebaudiana Bertoni, uma planta muito encontrada na América do Sul. Atualmente a substância tem sido amplamente adicionada chás, refrigerantes e outros produtos industrializados, em substituição ao açúcar. O produto também pode ser aquecido e usado no preparo de bolos, biscoitos e tortas.

A Stevia possui o poder adoçante 300 vezes maior que o açúcar refinado, porém, não possui calorias. Essa característica a torna recomendável para quem deseja perder peso naturalmente. Alguns estudos sugerem que o uso diário do produto pode contribuir para equilibrar a pressão arterial e regular os níveis de glicose no sangue, ou seja, a Stevia pode ser consumida com segurança por diabéticos.

Frutose

Com um poder adoçante 170 vezes maior do que a sacarose, a frutose é uma substância presente nas frutas, mel, e em alguns vegetais. Apesar de ser natural e menos prejudicial à saúde do que o açúcar refinado, adoçantes a base de frutose possuem calorias, devendo ser consumidos com moderação por pessoas que desejam emagrecer.

Além disso, esse tipo de adoçante também deve ser consumido com muito cuidado pelos diabéticos, pois a frutose, principal substância do produto, é capaz de elevar os níveis de açúcar no sangue.

Sorbitol

O Sorbitol é um adoçante produzido a partir de algas marinhas e algumas frutas. Possui o poder adoçante 50 vezes maior do que o açúcar e baixo teor calórico, cerca de 4 Kcal/g. É um produto muito usado em geleias, gomas de mascar e balas. O Sorbitol não deve ser consumido por diabéticos, por alterar os níveis de glicose no sangue.

Xilitol

O Xilitol é um adoçante extraído das fibras de vários vegetais, como milho e a ameixa, por exemplo. Possui 40% menos calorias do que o açúcar e é rico em nutrientes, sendo portanto, considerado um alimento natural.

O produto é usado em alimentos, em produtos de higiene bucal e não possui frutose em sua composição, o que o torna seguro para pessoas portadoras de diabetes. Além desses benefícios, o Xilitol contribui para melhorar a saúde bucal do indivíduo (3).

Mel

O mel é produzido pelas abelhas a partir do néctar das flores. Por isso é um ótimo substituto ao açúcar refinado e seus derivados, como a sucralose. Duas vezes mais doce do que a sacarose, o mel é um produto 100% natural e desde as épocas mais antigas é usado para adoçar alimentos e bebidas.

Rico em sais minerais, vitaminas e proteínas, o mel é composto por glicose e frutose, devendo, portanto, ser consumido com moderação por diabéticos. Além disso, o mel não é totalmente isento de calorias, pois possui cerca de 3,2 Kcal por grama. Isso significa que pessoas acima do peso também devem consumir moderadamente o mel.

Agora que você ficou por dentro dos malefícios proporcionados pelo uso da sucralose, que tal substituir esse tipo de adoçante por um mais natural e mais benéfico para a saúde?