Quebra-pedra: benefícios que vão além de destruir cálculos renais

Escrito por Fabio Dias

Foto: iStock

Provavelmente você já a viu diversas vezes, mas nunca deu a devida atenção. A Phyllanthus niruri, ou quebra-pedra, é uma erva bem comum (1). A essa planta banal e aparentemente sem graça é atribuído, entre outros benefícios, a capacidade de destruir pedras nos rins, característica que inspirou o seu nome popular.

Além do efeito renal, também é dito que as propriedades das folha e dos frutos da quebra-pedra têm a capacidade de proteger o fígado e combater diversos males.

Conheça mais sobre essa planta e o que ela pode fazer por você!

Benefícios da quebra-pedra

Imagem: Pense Natural

1. Previne pedras nos rins

Como foi dito, a Phyllanthus niruri ganhou seu apelido (“quebra-pedra” ou “arrebenta-pedra”) por ser usada como um antigo e popular remédio contra pedras nos rins. De acordo com pesquisas científicas, a sabedoria popular não estava equivocada: estudos mostraram que é um poderoso inibidor de cálculos renais (2 , 3, 4)

Além de dificultar a formação de cristais dentro dos rins, a Phyllanthus niruri ajudar a relaxar a uretra após uma litotripsia, facilitando que o corpo consiga expelir as pedras após o procedimento.

2. Antioxidante

Um estudo feito por acadêmicos da UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) embasa a suspeita de que a Phyllanthus niruri possui característica antioxidante (5). Os antioxidantes são conhecidos por combater radicais livres, fragmentos de reações químicas que podem se associar a outras moléculas e provocar efeitos nocivos à saúde.

3. Antimicrobiana

Outra pesquisa, da Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, no Chile, apresentou resultados sobre a habilidade antimicrobiana do extrato de quebra-pedra contra a Helicobacter pylori, bactérias comuns no trato digestivo (6). Geralmente, elas são inofensivas, mas, em alguns casos, podem levar a úlceras pépticas, dor abdominal e náusea.

4. Anti-inflamatória

Muitos problemas do corpo, como psoríase e dor crônica, se originam de uma simples inflamação. Estudos realizados em animais revelaram que o Phyllanthus niruri contém relevantes propriedades anti-inflamatórias.

Em uma pesquisa de 2017 (7), ratos foram tratados de uma inflamação nas patas traseiras com extrato de quebra-pedra. A inflamação foi reduzida significativamente com essa terapia.

5. Pode proteger contra úlceras

Descoberta no mesmo estudo citado acima, a pesquisa sugeriu que o extrato de Phyllanthus niruri ajudou a prevenir úlceras. A planta reduziu a secreção de ácido gástrico e protegeu o estômago.

Estudo semelhante, realizado pela Universidade Estadual do Ceará (8), investigou propriedades antioxidantes e de proteção gástrica de plantas brasileiras, que incluiu a Phyllanthus niruri.

6. Pode melhorar a saúde do fígado e ajudar no tratamento da hepatite B

A Phyllanthus niruri pode ajudar a tratar a aterosclerose e a doença hepática gordurosa não alcoólica. Ambas as condições podem causar resistência à insulina.

Em 2010, 60 pessoas participaram de uma pesquisa com ervas (9). Um grupo recebeu placebo e a outro foi dado um composto de sete medicamentos fitoterápicos, incluindo 100 mg de Phyllanthus niruri. O grupo que recebeu o extrato de quebra-pedra se recuperou mais rapidamente, mas relatou dores abdominais e diarreia.

7. Pode ajudar a baixar o açúcar no sangue

Além do relato sobre a planta ajudar a combater a resistência à insulina (mencionada no tópico acima), em um estudo de 2011 (10), pesquisadores apontaram que ela pode reduzir a absorção de glicose e melhorar o armazenamento de glicose.

Essa característica fez com que muitos olhassem para a quebra-pedra como um vegetal com propriedades antidiabéticas.

8. Promessa contra o câncer

Phyllanthus niruri e outras espécies de Phyllanthus apresentaram efeitos promissores na prevenção da metástase em casos de câncer de pulmão e mama. Um estudo de 2011 (11) mostrou que os polifenóis na erva ajudam a prevenir a invasão, migração e adesão de células cancerígenas.

Em 2012, pesquisadores perceberam que o Phyllanthus niruri ajudou a retardar o crescimento de células cancerígenas em câncer colorretal e hepático (12).

Como consumir

Foto: iStock

O quebra-pedra é vendido em forma de cápsulas, de chá ou de extrato. Como a dosagem desses produtos não é padronizada, peça a indicação de uma marca ao profissional de saúde de sua confiança.

Além das folhas e das sementes desidratadas e em forma de pó, a quebra-pedra também pode ser usada como tintura.

Como fazer o chá de quebra-pedra

  1. Ferva 1 litro de água;
  2. Adicione de 20 a 30 g de folhas de quebra-pedra secas;
  3. Deixe em infusão de 5 a 15 minutos e está pronto para beber!

Costuma-se indicar, para combater cólicas renais, a ingestão de um litro do chá de quebra-pedra por dia, por duas semanas.

Efeitos colaterais e riscos potenciais

Foto: iStock

Phyllanthus niruri ficou famosa como remédio popular por sua propriedades medicinais contra cálculos renais e biliares. Por isso, boa parte das pesquisas são focadas nesses fatores e, em alguns casos, novas propriedades são acidentalmente descobertas. Não há evidências suficientes para garantir a eficiência de todas as características atribuídas à planta.

A Phyllanthus niruri pode causar dor de estômago ou diarreia, que pode variar de indivíduo para indivíduo. Vale lembrar, também, que não existe uma dose segura comprovada para crianças, grávidas e lactantes.

Outro ponto que ainda não foi devidamente esclarecido pelas pesquisas foi a interação das propriedades do chá de quebra-pedra com outros medicamentos.

Marque uma consulta e converse com seu médico, principalmente se você tem algum distúrbio de coagulação, toma remédios que afinam o sangue ou tem uma cirurgia programada. Como foi dito anteriormente, você não deve usar a quebra-pedra para fins medicinais sem consultar um médico primeiro.